À conversa com Joana L., 23 anos

O que pensas quando se fala em prostituição? Achas que seria melhor combater o sistema através de políticas abolicionistas ou regulamentar como uma atividade profissional?

Quando se fala em prostituição penso na exploração da mulher. Para além de não ser verdade, sempre ouvi dizer que a prostituição é uma profissão e que é a mais antiga do mundo. Por não se tratar de uma profissão, mas sim de um ato de violência e exploração humana, na minha opinião, a ideia de regulamentar a prostituição como uma atividade profissional, é inconcebível. Por isso, acredito que seria, sem dúvida nenhuma, uma excelente opção tentar combater o sistema da prostituição através de políticas abolicionistas. 

Achas que estás a ser devidamente informad@ (por órgãos de comunicação ou instituições governamentais etc.) do debate sobre o abolicionismo e/ou sobre a regulamentação?

Não, não estou a ser devidamente informada relativamente ao debate sobre o abolicionismo e sobre a regulamentação. 

Sentes que o sistema da prostituição é perigoso? Porquê?

Apesar de não poder falar por experiência própria, e por isso, baseando-me apenas naquilo que sempre ouvi dizer e pelo que li em alguns artigos, o sistema de prostituição parece ser bastante perigoso. 

Porque é que achas que abolir o sistema da prostituição é fundamental?

A prostituição é crime, é intrinsecamente abusiva, é uma consequência da desigualdade feminina e não há como torná-la segura, por isso, acredito que abolir o sistema da prostituição é urgente e fundamental.

Deixe um comentário